World Bank Voices
Syndicate content

SM2016

Why investing in forests is money—and time-- well spent

Tone Skogen's picture
Also available in: Português
Togo_Andrea Borgarello / World Bank

It is widely acknowledged that reducing emissions from deforestation could bring about one-third of the greenhouse gas emission reductions we need by 2030 to stay on a 2-degrees trajectory. But protecting and managing forests wisely does not only make sense from a climate perspective.  It is also smart for the economy. Forests are key economic resources in tropical countries. Protecting them would increase resilience to climate change, reduce poverty and help preserve invaluable biodiversity.

Here are just a few facts to illustrate why forests are so important. First, forests provide us with ecosystem services like pollination of food crops, water and air filtration, and protection against floods and erosion. Forests are also home for about 1.3 billion people worldwide who depend on forest resources for their livelihood. Locally, forests contribute to the rainfall needed to sustain food production over time. When forests are destroyed, humanity is robbed of these benefits. 

The New Climate Economy report shows us that economic growth and cutting carbon emissions can be mutually reinforcing. We need more innovation and we need more investments in a low carbon direction. This requires some fundamental choices of public policy, and the transformation will not be easy. However, it is possible and indeed the only path to sustained growth and development. If land uses are productive and energy systems are efficient, they will both drive strong economic growth and reduce carbon intensity.

Already, the world's large tropical forest countries are taking action. 

Por que investir nas florestas é dinheiro e tempo bem empregados

Tone Skogen's picture
Also available in: English
Togo_Andrea Borgarello / World Bank

É amplamente reconhecido que a redução de emissões provenientes do desmatamento poderia corresponder a um terço da diminuição das emissões de gases de efeito estufa necessária até 2030 para o planeta não aquecer mais de 2ºC. No entanto, proteger e gerenciar as florestas de forma prudente não somente faz sentido de uma perspectiva do clima. É também algo inteligente para a economia. As florestas são recursos econômicos de suma importância nos países tropicais. Protegê-las aumentará a resiliência às mudanças do clima, reduzirá a pobreza e ajudará a preservar a biodiversidade.

Seguem apenas alguns fatos para ilustrar por que as florestas são tão importantes. Primeiro, as florestas nos prestam serviços de ecossistema, tais como polinização de safras de alimentos, água e filtração do ar, bem como proteção contra inundações e erosão. As florestas também abrigam cerca de 1,3 bilhão de pessoas no mundo inteiro que dependem dos recursos florestais para subsistência. Em nível local, as florestas contribuem para a pluviosidade necessária para manter a produção de alimentos no correr do tempo. Quando as florestas são destruídas, esses benefícios são roubados da humanidade. 

O novo Relatório sobre a Economia Climática nos mostra que o crescimento econômico e a redução das emissões de carbono podem se reforçar mutuamente. Precisamos de mais inovação e mais investimentos para ter uma economia de baixo carbono. Isso requer certas escolhas fundamentais de política pública e a transformação não será fácil. No entanto, é possível e na realidade trata-se do único caminho para um crescimento e desenvolvimento sustentados. Se o uso da terra for produtivo e os sistemas energéticos forem eficientes, ambos impulsionarão um desenvolvimento econômico sólido e reduzirão a intensidade das emissões carbono.

Em âmbito mundial, os países com as grandes florestas tropicais já estão agindo.